0

Stollen

20161215_072651Como prometido, aqui está uma das receitas de Natal deste ano!

O Stollen é um pão muito popular no norte da Europa. Ele tem versões na Alemanha, nos Países Baixos, na Bélgica, Áustria, entre outros países. Ele é um tipo de Panetone, mas não é tão doce. É recheado com frutas cristalizadas e passas, mas a massa não é tão fofinha quanto a do seu primo italiano.

Na sua versão belga/holandesa (onde é chamado Stol ou Kerstol), ele é recheado, além das frutas originais, com uma carreira de marzipan e é de comer rezando!

Na Áustria ele é conhecido como Pão de Todos os Santos (Allerheiligenstrizel) e é dado pelos padrinhos aos afilhados nesse dia.

A nossa receita é do Dresdner Stollen, que é o Stollen mais consumido lá na Alemanha. Tirei de um livro de 1965. Não é lá muito simples de fazer não. Tire um dia que você pretende ficar um bom tempo em casa, porque é bem trabalhoso!

Ingredientes:

  • 1 1/2 xícara de uvas passas
  • 2 xícaras de frutas cristalizadas
  • 1/2 xícara de rum
  • 2 envelopes de fermento biológico seco
  • 1/2 xícara de água morna
  • 1 colher de sopa de açúcar (opcional)
  • 2 xícaras de leite
  • 1 xícara de açúcar
  • 2 colheres de chá de sal
  • 1 1/3 xícara de manteiga
  • Raspas de um limão
  • 2 colheres de sopa de rum
  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • 4 ovos, levemente batidos
  • 5 a 7 xícaras de farinha de trigo
  • 1 colher de chá de essência de amêndoas
  • 1 1/2 xícara de amêndoas fatiadas
  • Manteiga derretida
  • Açúcar granulado
  • Açúcar de confeiteiro

Modo de preparo:

  1. Misturar as passas com as frutas e embeber no rum por uma hora. Quando pronto, drenar e separar o rum;
  2. Dissolver o fermento na água quente, usando um pouco de açúcar acelerar o processo (opcional);
  3. Esquentar uma mistura do leite com açúcar, sal e manteiga. Quando a manteiga tiver derretido, adicionar as raspas de limão, rum e extrato de amêndoas e misturar tudo. Deixar esfriar;
  4. Adicionar o fermento e 2 xícaras de farinha. Misturar bem e deixar descansar por 15-30 minutos. Adicionar os ovos e depois a farinha de trigo gradualmente, até que seja possível trabalhar a massa com a mão;
  5. Levar a massa a uma superfície enfarinhada. Trabalhar a massa adicionando as frutas até incorporar todas;
  6. descansar a massa até dobrar de tamanho;
  7. Dividir em três partes iguais, dar um formato oval e esperar 10 minutos;
  8. Uma a uma, achatar a massa, pincelar com manteiga, salpicar o açúcar cristal por cima e dobrar a massa no meio, de forma que a parte com açúcar fique para dentro;
  9. Deixar a massa crescer por mais 30 minutos pelo menos e levar os pães ao forno médio por volta de 40 minutos ou até ficar bem moreninho;
  10. Agora é só por o açúcar de confeiteiro por cima e está pronto!

Recomendo esperar para comê-lo frio. O sabor fica bem melhor!

 

Anúncios
0

Sopa “ligeira” (Jornal das Moças, 1960)

Oi pessoal!

A seguir uma sopa rápida que foi publicada em Março de 1960 na revista “O Jornal das Moças”, para a “esposa ingrata” ou “mãe esquecida” que deixa de fazer sopa pro jantar e só se lembra em cima da hora. Que vergonha hein…

Sopa Ligeira jornal das mocas 1960

Infelizmente eu não tive oportunidade de tirar foto (só com o meu celular, mas ficou uma porcaria) pra mostrar como fica. Mas o sabor até que é interessante considerando os ingredientes. Fiz com caldo de legumes, como eles aconselham no fim da receita. Vale a pena experimentar pelo menos uma vez. É bem prática e vai bem naquelas horas que a gente tá com preguiça de cozinhar!

0

Speculoos (biscoito de especiarias)

DSC00373

Hoje é dia de São Nicolau!

Na Bélgica existe o costume de comemorar a data com a chegada do Papai Noel – conhecido lá por Sinterklaas, uma figura de São Nicolau vestido de vermelho e com a longa barba branca. Já nos Países Baixos, além de suas antigas colônias, a chegada é na véspera do dia de São Nicolau.

É o Sinterklaas que distribui os speculoos, biscoitos crocantes de especiarias (cravo, canela, gengibre, entre outras), com a ajuda de seu ajudante, o Zwarte Piet, um menino mouro. Tradicionalmente eles vem no formato do Sinterklaas, mas também podem vir de todas as formas imagináveis. Quanto ao nome, o mais provável é que venha da forma de denominar os bispos em latin: speculator; já que o próprio Nicolau foi um bispo na Turquia. Além de popular nos países de língua holandesa o Speculoos tambem é bastante conhecido na região da Westfália, na Alemanha, que fica na fronteira.

 

Mas vamos falar sobre a receita que é o que importa. Uma das histórias que ouvi e que é a minha favorita, conta que a receita se originou quando mercadores traziam para os Países Baixos – que englobavam tanto Holanda quanto o que hoje é Flandres, a parte da Bélgica que fala holandês – especiarias diretamente das índias orientais.

Um desses mercadores enfrentou um mar muito agitado na viagem, e acabou com o carregamento de especiarias todo misturado. Como não sabia o que fazer (pois com certeza não conseguiria vender nada) deixou a carga toa dentro de um galpão. Um belo dia, um padeiro se interessou pelo aroma que de lá saía e perguntou do que se tratava. O mercador contou toda a história e ofereceu a mistura ao padeiro, para que ele a usasse da forma que quisesse.

Ele então mudou um pouco as proporções e inventou um novo biscoito, levou ao bispo para que ele distribuísse para os pobres no dia de São Nicolau. Foi evidentemente um sucesso e a tradição se perpetua até hoje.


Quem me deu essa receita foi meu namorado, que é belga, e que por sua vez recebeu de sua mãe. É uma receita simples e tradicional:

INGREDIENTES:

Mix de speculoos:
1 1/2 canela
1/4 noz moscada
1 cravo
1/2 gengibre
1/2 cardamomo
250gr – farinha c fermento ou mais fininha
150gr – manteiga
140gr – açúcar mascavo
1 ovo
1 1/2 colher de chá de mix de speculoos
4 col. (sopa) leite
MÉTODO:
1. Misturar tudo e amassar bem.
2. Deixar descansar por uma noite na geladeira.
3. Abrir a massa com ajuda de farinha
4. Fazer a forma do biscoito. De preferencia, deixe ele beeeeem fininho. Assim vai ficar bem crocante. Minha sogra tem o costume de simplesmente espalhar a massa na assadeira, de forma que fica uma placa bem fina. Quando pronto e frio, ela dá uns socos e a massa sai toda. Nem precisa untar, ela nao cola.
5. Assar por 15 minutos (não mais do que isso) em forno preaquecido a 175°c
Deixar esfriar antes de comer. Não adianta querer comer ainda morno, porque não é a mesma coisa.

Espero que gostem e feliz dia de São Nicolau! E se você foi uma criança má, cuidado! O Zwarte Piet vai te colocar no saco dele e te levar embora pra Espanha!!!

0

Repolho à moda da Westfália (1960s)

Voltando para dar a receita de repolho que prometi no post sobre o porco com páprica! É uma receita bem simples e você pode deixá-lo cozinhando sozinho e lindo enquanto faz o prato principal.

 

Ingredientes:

Um repolho branco médio
Água fervente
Sal
3 colheres de sopa de banha/manteiga
1 cebola picada
1 xícara de caldo de galinha
Açúcar se necessário

Método:

Ferver o repolho picado em água com sal para limpar por uns 5 minutos. Escoar a água.
Refogar a cebola na gordura e saltear até ficar amarela (temperatura baixa).
Por o repolho e refogar por uns 6-8 minutos. Aí juntamos o caldo de galinha e completamos com a água fervente até cobrir o repolho. Depois basta adicionar o sal e deixar ferver por mais ou menos uns 45 minutos com a tampa aberta para reduzir a água.
Ele tem que ficar com a textura parecida com a do chucrute. Quando estiver bem molinho mas não tão ensopado, estará pronto! Basta verificar se precisa de mais sal. A quantidade de açúcar é bem variável. Eu coloquei só uma colher de café no meu e já ficou bom.

DSC00194

Então, isso é tudo! Eu sei que bonito não é, rs. Mas fica bem gostoso!

 

Espero fazer algo doce para a próxima vez!

Muito obrigada pela visita e até a próxima!!!